Percepção de melhora no país em relação ao ano anterior cai no NordesteCom mais de 4 mil vagas, concurso CAIXA 2024 abre inscriçõesFPM: municípios da Paraíba receberão, nesta quinta-feira (29), mais de R$ 106 milhõesSecretaria de Saúde vai realizar manutenção em aparelhos para retomar teste da orelhinha no ISEAProibição de usar banheiro de outro sexo nas escolas avança no SenadoEPIDEMIA: Paraíba registra terceira morte por dengue e chikungunhaLéa Toscano deixa PSDB“Manifestação em São Paulo foi a celebração da democracia e da liberdade”, senador Rogério MarinhoFederação Israelita registra aumento de 263% de denúncias de antissemitismo em escolas após ataques LulaMarço começa com mais uma edição do Tarifa Zero em Campina GrandeRede de Educação de Campina Grande inicia nesta quarta-feira aplicação do Sistema de Avaliação de AprendizagemCentro de Zoonoses amplia horário de atendimento para as consultas clínicas veterináriasPrefeitura de Campina Grande inaugura, nesta terça-feira, a nova Policlínica da Bela VistaNordeste: a ‘mina’ da energia solarLula III: Brasil registra 920 mil casos de dengue e 184 mortes, nos dois primeiros meses de 2024.Ato na Avenida Paulista, Bolsonaro reúne mais de um milhão de pessoas.Bolsonaro seria obrigado a comparecer em interrogatório? Veja o que dizem advogados criminalistasCasos de Covid-19 e mortes decorrentes da doença registram aumento no BrasilBNDES aprova R$ 88,5 milhões para expansão da internet de banda larga na PB e no RNPEC dá ao Congresso poder de sustar atos normativos do Judiciário

Gari tem direito a aposentadoria especial, explica advogada

Gari tem direito a aposentadoria especial, explica advogada

Imagine passar todo o tempo de trabalho tendo que suportar o mau cheiro do lixo, “pendurar-se” em caminhões em movimento e lidar com dejetos que causam danos à saúde. Esta é a vida dos garis. Esses trabalhadores expostos constantemente a bactérias, fungos e vírus, muitas vezes, se machucam ao cumprirem a missão de limpar toda a sujeira da cidade. Por isso, esses agentes de limpeza têm direito a aposentadoria especial, conforme prevê a legislação previdenciária.

“Que aposentadoria especial? Sei disso não”, afirma José Alves da Silva, 42, que trabalha há cerca de 15 anos na função de coletor de resíduo sólido. Ele espera se aposentar, mas não sabe que tem direito a aposentadoria especial.

Antes da Reforma da Previdência, o gari, coletor de lixo ou lixeiro já tinha direito a aposentadoria especial. Para conseguir o benefício, esses trabalhadores precisavam apenas comprovar 25 anos de contribuição especial, devido a exposição a agentes nocivos à saúde, independentemente da idade. Mas, com as novas regras de transição, esses profissionais (homens e mulheres) da limpeza pública precisam comprovar 25 anos de atividade específica e ter idade mínima de 60 anos.

“Antes da reforma previdenciária, não havia a exigência da idade mínima como requisito para aposentadoria especial, por isso os garis precisam saber se tem, ou não, direito adquirido a esse benefício”, orienta a advogada Thais Carlos, associada do Escritório Marcos Inácio Advogados.

A Dra. Thais Carlos também lembra aos garis que para dar entrada no processo de aposentadoria junto ao INSS é necessária a documentação que comprove o período de contribuição e mais dois documentos emitidos pela empresa: o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) e o Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho (LTCAT).

“Para a obtenção desse benefício, a atividade especial é comprovada atualmente através de dois documentos emitidos pelo empregador. O Laudo Técnico serve para comprovar que o trabalhador exerce atividade sujeita à periculosidade e insalubridade e o PPP atesta o histórico de atividades do gari na empresa e o resultado de monitoração biológica e ambiental”, explica a advogada Thais Carlos.

        Já os trabalhadores que exerceram a atividade de gari por um período menor que 25 anos, a advogada lembra a importância de juntar documentos que comprovem o exercício da profissão:

“Os garis, que passaram apenas um período da vida laboral exercendo essa profissão, podem conseguir reduzir o tempo para conseguir se aposentar, ainda que não seja na espécie de aposentadoria especial”, acrescenta a Dra. Thais.

        De acordo com a advogada, a Reforma da Previdência causou prejuízos para os agentes de limpeza pública. Mas, todos esses profissionais com direito a aposentadoria especial precisam ficar atentos às regras de transição e ao direito adquirido.

“Ainda que a reforma tenha trazido alguns prejuízos para esses profissionais que permanentemente trabalham colocando sua saúde em risco, é importante consultar um profissional qualificado e de confiança antes de buscar a sua tão sonhada aposentadoria com finalidade de obter sempre o benefício mais vantajoso”, finaliza Dra. Thais Carlos, especialista em Direito Previdenciário e associada do Escritório Marcos Inácio Advogados.

1 Comment

  • Wellington Alves Gomes

    Bom dia!
    Excelente, explanação da advogada cabe os trabalhadores, procurarem seu sindicato para melhor se enformar de seus direitos prevendênciários um grande abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.