Pesquisa 6Sigma: Gestão de Bruno no enfrentamento a Covid em Campina Grande tem 56% de aprovação.

A gestão do prefeito Bruno Cunha Lima, no enfrentamento a pandemia do vírus chinês tem 56% de aprovação. A pesquisa foi feita pelo Instituto 6Sigma, neste mês de março.

De acordo com a pesquisa 56% da população aprova a forma como Bruno vem conduzindo a administração da crise sanitária local. Se o percentual dos que apontam como regular for levado em conta, a aprovação da gestão chega a 84,2% em contraponto à avaliação feita pela mesma pesquisa sobre o desempenho do Governo do Estado na cidade que é de apenas 24,6%.

De acordo com a pesquisa, realizada entre os dias 16 a 18 deste mês na Paraíba, com 593 entrevistados, do total de 56% de aprovação, 18,9% consideram a gestão de enfrentamento a pandemia como ótima; 37,2% avaliam como boa; 28,2% definem como regular; 12,4% acham ruim e 3,4% péssima.

Já em relação ao Governo do Estado, a avaliação da gestão governador João Azevedo, no enfrentamento a pandemia é: 5,6% consideram ótima; 19% consideram boa; 27,7% apontam como regular; 16,8% consideram ruim e 30,8% avaliam como péssima.

Em relação a gestão do presidente Bolsonaro, 33,3% da população de Campina Grande aprova a gestão da crise da Covid-19, enquanto que 17,4% apontam como regular; 11,2% consideram ruim e 38,0% apontam como péssima.

Fechamento do Comércio

Sobre a medida de fechamento do comércio, uma das medidas recorrentemente adotadas pelo Governo do Estado, existe uma clara desaprovação da população de Campina Grande: 67,6% são contra essa restrição extrema. Dos entrevistados, 27,5% são favoráveis à medida, enquanto 4.9% não sabem.

Nas demais cidade, a desaprovação à medida contra o setor comercial é ainda mais evidente: 71,9% não concordam, enquanto apenas 21,9% aprovam e 6,3% dos entrevistados disseram não ter uma opinião a respeito.

Até na questão sanitária, a avaliação da população evidencia censura em relação à rigidez das medidas restritivas: 80,2% das pessoas dizem se sentir seguras em ir ao comércio. Desse total, 60,8% revelam ficar à vontade em estabelecimentos que cuidam da segurança e da higiene, enquanto 19,4% apontam segurança no segmento em todos os lugares e apenas 19,8% não se sente segura em parte alguma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *