Justiça decreta prisão temporária do incendiário da estátua do bandeirante Borba Gato.

A juíza Gabriela Marques da Silva Bertoli, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), determinou a prisão de Paulo Galo e de sua companheira Géssica Barbosa por cinco dias. O casal estava 11º DP, nesta quarta (28), para prestar depoimento sobre um incêndio criminoso ocorrido no último sábado, dia 24, quando receberam voz de prisão.

Paulo Gallo, integrante do coletivo Revolução Periférica, e sua esposa Jéssica tiveram a prisão temporária decretada por serem suspeitos do incêndio criminoso contra a estátua de 5 metros do bandeirante Borba Gato, em plena luz do dia.

O pedido de prisão foi apresentado pela Polícia Civil, alegando “associação criminosa”, definido no artigo 288 do Código Penal como “associarem-se 3 (três) ou mais pessoas, para o fim específico de cometer crimes”.

Além da prisão, a juíza autorizou busca e apreensão e quebra do sigilo telemático de ambos. Géssica alega não ter participado da ação, e diz que compareceu ao DP espontaneamente, porque seu telefone foi utilizado para contratar frete para o grupo que realizou a ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *