Prefeitura de Campina Grande realiza mais de 100 atendimentos no primeiro dia da Semana do MicroempreendedorCampina Grande realiza dias C de vacinação contra covid-19 para criançasPrefeitura entrega tablets e fardamentos a Agentes Comunitários de SaúdeBruno recebe empresários e estabelece metas para o setor melhorar a qualidade dos serviços à população de Campina GrandePrefeitura suspende serviço emergencial de transporte público para distritos, após normalização das linhasProjeto reserva 5% dos postos de trabalho para vítimas de violência domésticaNo Curimataú, consórcio intermunicipal é alternativa para cidades ofertarem consultas médicas para populaçãoPré-candidatos podem iniciar vaquinha virtual a partir de domingoBruno entrega kits escolares a estudantes da Escola Municipal Presidente KennedyPrefeitura de Campina realiza Semana do Microempreendedor IndividualBruno reage ao boicote das empresas de ônibus e coloca frota a disposição da população com tarifa zeroBruno assegura apoio da Prefeitura de Campina Grande à Mayara Rocha em competição internacionalQuase 57 mil recém-nascidos foram registrados sem o nome do paiGoverno Bolsonaro zera imposto de importação de alimentosJustiça decide que Pazuello não é responsável pela crise de oxigênio em ManausNo apagar das luzes do governo João Azevedo, PT rompe atacandoCampina Grande marca presença na Expo Turismo ParaíbaPrefeitura de Campina Grande garante na Justiça o transporte público para os distritosPrefeitura de Campina Grande promove avanço nas políticas públicas em benefício das pessoas com deficiênciaPrefeitura de Campina recebe prêmio de Cidade Empreendedora da região Nordeste na categoria Prefeito Empreendedor

Assembleia discute regulação de internações no setor de Saúde em toda a Paraíba

Assembleia discute regulação de internações no setor de Saúde em toda a Paraíba

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta quarta-feira (27), audiência pública com o objetivo de discutir a regulação no setor de Saúde em todo o Estado da Paraíba, sobretudo, nos grandes centros urbanos. A audiência aconteceu de forma remota, através de videoconferência, e contou com a participação do presidente da Casa de Epitácio Pessoa, Adriano Galdino, e dos deputados Dr. Érico, Dr. Taciano Diniz, Cida Ramos, Dra. Jane Panta, Eduardo Carneiro, Janduhy Carneiro, João Gonçalves, Jutay Meneses e Wilson Filho, além de representantes da Saúde de diversos municípios e do Estado.

Propositor da audiência, o presidente Adriano Galdino ressaltou que é preciso apresentar soluções que tornem as internações mais ágeis e amenizem o sofrimento daqueles que utilizam o Sistema Único de Saúde (SUS). “Essa preocupação com a regulação hospitalar surgiu porque a Assembleia Legislativa sabe do sofrimento das pessoas que utilizam o SUS. O Sistema Único de Saúde é importante, mas é também massacrante e, algumas vezes, coloca em risco a vida da população mais vulnerável”, afirmou o presidente. Para Adriano Galdino, no momento atual, principalmente, com o advento da pandemia da covid-19, é preciso implantar um sistema de regulação mais aperfeiçoado que possa ampliar a informação para todo o estado. “Estamos aqui para discutir e buscar soluções que possam contribuir para que o sistema possa ser melhorado. Nenhum de nós pode assistir calado a esses números de mortes de paraibanos que não têm acesso às internações porque não tem vaga”, cobrou o deputado.

O presidente chamou atenção para as dificuldades relatadas por paraibanos das mais diversas regiões para conseguirem internações nos Hospitais Universitários em João Pessoa e Campina Grande; no Hospital Metropolitano, em Santa Rita; e nos hospitais Pedro I e da FAP, em Campina Grande. “Muitos paraibanos estão morrendo porque não estão conseguindo internações e isso é muito grave. Não podemos mais ficar omissos a esta situação e precisamos que ela seja resolvida. Para isso, vamos precisar da contribuição de todos. Levarei aos demais companheiros deputados a minha impressão sobre essa audiência pública para que possamos afunilar o debate e contribuir com soluções para a regulação”, concluiu Galdino.

O deputado Dr. Taciano Diniz, que também propôs o debate no âmbito da Comissão de Saúde, Saneamento, Assistência Social, Segurança Alimentar e Nutricional da ALPB, propôs a criação de uma rede de regulação estadual integrada e online. Para o parlamentar, que também é médico, a implantação desse mecanismo irá possibilitar aos médicos plantonistas acompanharem as opções de vagas em todo o Estado. “Quando atuei como médico plantonista, cheguei a ficar 24h tentando regular pacientes vítimas de infarto e/ou AVC para os diversos hospitais do Estado. Reconheço que o Estado tem feito muito pela saúde, mas necessitamos que seja feito ainda mais”, afirmou.

Além de defender a implantação de uma central estadual de Regulação, o deputado estadual Dr. Érico cobrou também a descentralização dos serviços de alta complexidade, principalmente para o interior do estado. “A central de regulação precisa ser implantada. Ela será fundamental para o bom funcionamento do Sistema Único de Saúde na Paraíba para que não faltem leitos no Sertão, na região da Borborema e na Capital. É preciso chamar os municípios, o estado e a federação para montar uma regulação para todos, pois, todos são do SUS, assim poderíamos minimizar esses transtornos”, sugeriu o parlamentar.

A secretária Executiva de Estado da Saúde, Renata Valéria Nóbrega, explicou que o Governo da Paraíba já trabalha com o intuito da implantação de uma central estadual de regulação. Ela lembrou que com o avanço da pandemia da covid-19 o estado deu o exemplo de que com a criação de uma fila única destinada aos pacientes com covid, a gestão da saúde na Paraíba conseguiu dar uma melhor resposta aos paraibanos precisavam. “A descentralização de forma regionalizada também é o foco para que consigamos avançar no cuidado integral a todos os paraibanos. Estamos buscando implantar da central estadual do componente materno. A principal meta do governo é reconhecer, através de uma fila única em âmbito estadual”, afirmou a secretária.

O Secretário Municipal de Saúde de João Pessoa, Fábio Rocha, alertou para a necessidade do fortalecimento da Saúde pública após covid-19. “É preciso construir novos leitos, investir na Saúde. O grande legado da covid-19 para nós foi reestruturar as UTI’s e nos fazer pensar a Saúde como o meio da vida das pessoas”, reivindicou Rocha, acrescentando que a Paraíba pode dar um bom exemplo com a união entre o Governo do Estado e todos os municípios para melhorar a situação da Saúde.

O coordenador do Comitê Estadual de Saúde do Tribunal de Justiça da Paraíba, juiz Marcos Coelho de Salles, sugeriu ao Poder Legislativo a elaboração da ‘Lei das Filas’, para dar transparência ao que chamou de desassistência. Para o magistrado, a medida fará com que os gestores tenham ideia das suas necessidades com planejamento, levando Saúde de forma mais ágil e eficiente a toda a população. “Ausência da Saúde é inconstitucional”, resumiu o magistrado.

O diretor do Hospital Universitário Alcides Carneiro em Campina Grande, Mario de Oliveira, defendeu a central regional de regulação como opção para o fortalecimento da atenção básica de saúde e o atendimento da demanda represada da pandemia. “Ao modo da rede de atenção à saúde, a regulação deverá ser regionalizada e hierarquizada. Entendo que o Governo deve permanecer com centrais regionais nas macrorregiões de saúde da Paraíba e ter a regulação estadual, contemplando e unindo todas essas centrais regionais, concentrando o primeiro grande esforço na urgência e na emergência, de forma organizativa. Com isso, conseguimos entender o perfil e como podemos agir para recompor a nossa assistência à saúde”.

Também participaram da audiência pública o presidente da Fundação do Hospital Napoleão Laureano, Marcelo Lucena; o diretor do Hospital Universitário Lauro Wanderley em João Pessoa, Marcelo Tissiani; a presidente do COSEMS, Soraya Galdino; o diretor assistencial do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, Gilberto Teodózio; o secretário de Saúde de Campina Grande, Gilney Porto; o secretário de Saúde do Município de Cabedelo; Murilo Suassuna; o diretor geral do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa Senador Humberto Lucena, Laécio Bragante; o diretor técnico do Hospital de Trauma de Campina Grande, Sebastião Viana da Silva Junior; o diretor do Hospital Filantrópico Padre Zé, Padre Egídio Cavalcante; o presidente do conselho Estadual de Saúde da Paraíba, Antônio Eduardo Cunha; e o diretor da Fundação Assistencial da Paraíba (FAP), Derlópidas Neves.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.